Call for Papers: Special Issue on Luso-African Literatures

2022-02-22

I AM EMBEDDED IN A HISTORY OF IMPOSED SILENCES* 

PRÁTICAS LITERÁRIAS E ARTÍSTICAS DECOLONIAIS LUSO-AFRICANAS

Este dossiê do Journal of Lusophone Studies abre uma chamada para artigos que explorem os trabalhos literários, artísticos e culturais de autoras(es) africanas(os), portuguesas(es) e afro-portuguesas(es) e que se debrucem, a partir da escrita tradicional ou intermedial, sobre as narrativas coloniais, pós-coloniais e anticoloniais e, também, sobre a produção diaspórica à luz dos fluxos migratórios e interculturais contemporâneos.

Procuram-se trabalhos em torno das literaturas, cinemas e restantes artes audiovisuais luso-africanas em português que, de modo interdisciplinar ou não, elaborem certas abordagens alternativas e periféricas, humanas e não-humanas, como o feminismo, a visibilização dos corpos racializados e queer, do vegetal, do animal e da coisa. Pretende-se que estes contributos prolonguem e promovam o debate acerca de temáticas fundamentais nos dias de hoje, entre outras, renegociações identitárias, políticas da identidade e do corpo, natureza, espaço/lugar, memória e história, narrativas de resistência e reparação ou desigualdades económicas.

Dentre as possíveis questões que este dossiê pretende abordar estão:

  • Como se desconstroem e combatem, de maneira literária e artística, os legados coloniais e as dinâmicas neocoloniais?
  • Como é que as(os) autoras(es) africanas(os), portuguesas(es) e afro-portuguesas(es) desafiam noções fixas de pertencimentos e de lugares, radicalismos, marginalizações e formas de nostalgia reacionária?
  • O que constitui, no contexto global da literatura e das artes contemporâneas, uma expressão afro-portuguesa? 
  • De que modo se podem pensar as paisagens culturais africanas e euro-africana em português?
  • Como é que as(os) criadoras(es) afrodescendentes dialogam com os discursos e os debates nacionais e internacionais?
  • Que papel desempenha a prática literária da poesia intermedial ou expandida, avessa à oficialidade do sistema escrito e alfabético, no processo de decolonização? 
  • Como se pensa sobre o desenho das manifestações da diáspora africana?
  • Como se concretizam artisticamente as práticas de convivialidade e conflito entre o país que colonizou e os países colonizados?
  • Como se articulam, teorica e tecnicamente, os mecanismos literários e artísticos em prol do aprofundamento das interações entre espaço/tempo, espaço/identidade, passado e presente, presente e futuro?
  • Como é que se revisita e contesta o arquivo colonial, construindo outras memórias e reinventando certos discursos e noções históricas de identidades fixas?
  • Como é que a literatura, o cinema, a performance e as artes visuais podem tornar visível a interseccionalidade entre as lutas pelo meio ambiente, pela justiça racial e social, pela comunidade queer e pela igualdade de género?
  • O que nos ensina este tipo de produção cultural sobre as experiências e os testemunhos das diversas comunidades luso-africanas?

Os ensaios não devem exceder as 8.000 palavras, incluindo notas e bibliografia e devem ser preparados de acordo com a edição mais recente do MLA Style Manual. O manuscrito não deve conter qualquer forma de identificação, tais como nome, filiação institucional e publicações anteriores referidas na primeira pessoa. Deve ser incluído, no manuscrito, um resumo de 250 palavras. Os artigos serão submetidos a avaliação cega por pares antes de serem aceites. Envie o seu artigo para o endereço jls.apsa23@gmail.com até 31 de julho de 2022.

* Grada Kilomba, While I Write, Bienal de São Paulo. 2016. Acessível aqui: https://bit.ly/3ue21yl

Patrícia Lino (UCLA)

Patrícia Martinho Ferreira (UMass Amherst)

---------------------

I AM EMBEDDED IN A HISTORY OF IMPOSED SILENCES*

DECOLONIAL LUSO-AFRICAN LITERARY AND ARTISTIC PRACTICES 

This special issue of the Journal of Lusophone Studies welcomes articles on the literary, artistic and cultural works by African, Portuguese and Afro-Portuguese authors that explore, through traditional or intermedial writing, colonial, post-colonial and anticolonial narratives, as well as diasporic productions in light of contemporary migrations and intercultural flows.

We seek works that focus on Luso-African literatures, cinemas and other audiovisual arts in Portuguese that, in an interdisciplinary way or not, develop possible alternative and peripheral approaches, human and non-human, such as feminism, and the visibility of racialized and queer bodies, plants, animals and objects. These contributions ought to enlarge and promote the debate on key contemporary themes, among others, identity renegotiations, identity and body politics, nature, place/space, memory and history, narratives of resistance and reparation, and economic inequalities.

Some of the questions we hope to respond to include:

  • How colonial legacies and neocolonial dynamics are deconstructed and contested artistically?
  • How do African, Portuguese and Afro-Portuguese author(s) challenge fixed notions of belonging and space, radicalisms, marginalizations and forms of reactionary nostalgia?
  • What constitutes, in the global context of literature and contemporary art, an Afro-Portuguese expression?
  • How can we envision African and Euro-African cultural landscapes in Portuguese?
  • How do artists of African descent dialogue with national and international discourses and debates?
  • What is the role of literary practices of intermedial or expanded poetry, averse to official writing and the alphabetic system, in the decolonial process?
  • How can we map and think about African diaspora manifestations?
  • How practices of conviviality and conflict between the colonizer and colonized countries are artistically constructed and materialized?
  • How literary and artistic mechanisms, theoretically and technically, are articulated in favor of deepening the interactions between space/time, space/identity, past and present, present and future?
  • How can we revisit and challenge the colonial archive in order to construe other memories and to reinvent certain historical discourses and notions of fixed identities?
  • How literature, cinema, performance and visual arts can illuminate the intersectionality between the fights for environmental equity, racial and social justice, and for the queer community and gender equality?
  • What does this type of cultural production teach us about the diverse Luso-African communities’ experiences and testimonies?

All essays should not exceed 8,000 words, including notes and works cited, and should be prepared according to the most recent edition of the MLA Style Manual. The manuscript should not have any form of identifying information such as the author's name, institutional affiliation and previous publications referred to in the first person. Please also include a 250-word abstract with your submission. All essays will be subjected to a double-blind peer review process prior to acceptance. Please send submissions to jls.apsa23@gmail.com by 31 July 2022.

* Grada Kilomba, While I Write, Bienal de São Paulo. 2016. Available here: https://bit.ly/3ue21yl

Patrícia Lino (UCLA)

Patrícia Martinho Ferreira (UMass Amherst)